Você realmente se conhece bem?

Você realmente se conhece bem?

Eu já me deparei com esta pergunta inúmeras vezes em vários momentos da vida. De alguma forma sempre achei que a resposta para ela ampliava as possibilidades que tinha de alcançar qualquer coisa que estabelecesse na vida. Mas e você? Quantas vezes já se deparou com este questionamento? Ele também te instiga?
Uma vez reconhecida a importância desta pergunta vem outras:

  • Como saber se me conheço bem?
  • Quais são os elementos fundamentais que compõem o meu autoconhecimento?
  • E se estiver me enganando?
  • E se for confirmar isto com outra pessoa? Não poderá haver um novo engano?

Bom, vou listar aqui alguns dos elementos mais comuns no mundo do Coaching sobre o autoconhecimento. São eles:

Forças e Talentos
Aquilo que você é bom, que faz bem e que faz a diferença quando atua (eventualmente você também pode abordar as Fraquezas);

Paixões
Aquilo que você gosta de fazer e que até perde a noção do tempo quando faz (aqui também podemos ver pelo lado das coisas que não gostamos, nos incomodamos ou até odiamos);

Valores
O que importa na sua vida, que te preenche, que dá sentido no que você faz;

Crenças
O que você acredita sobre si mesmo e sobre a vida, que “julga” ser certo ou adequado pra você e para os outros, em outras palavras, a sua verdade;

Comportamento
O seu “jeitão de ser, principalmente, na comunicação e relacionamento com outras pessoas;

Sonhos
Tudo o que você almeja alcançar na vida;

Propósito
O que você acredita que é a razão pela qual você está neste mundo. Algo que quando faz se sente vivo, pleno;

Existem outros elementos, mas com esses 7 já é possível trabalhar muita coisa.

E como evitar o autoengano ou a influência de interpretações externas?
Aqui também vão três dicas:

Fonte consciente
Faça sua autoavaliação clara, livre e direta dos elementos acima;

Fonte inconsciente
Busque instrumentos, como pesquisas comportamentais, profissionais como coaches, psicólogos, mentores e dinâmicas de exercícios vivenciais, imersões em grupo que possam trabalhar o lado inconsciente;

Fonte mista
Procure pessoas que você confie e que te conheçam bem para ter uma terceira fonte que possa equilibrar um pouco as duas primeiras.

Sabendo os principais elementos e trabalhando fontes complementares, você estará preparado para alcançar um nível mais profundo de autoconhecimento que poderá levá-lo (a) a novos patamares de realização na vida.

Um abraço e até já, já…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *