Sonho útil

Sonho útil

Muitas pessoas dizem que sonhar é perda de tempo, que é importante ter os pés no chão, que o mundo é cruel. Na música Marvin, da banda Titãs, o sonho faz sofrer. Mas isso pode acontecer sim, quando usamos o sonho como mecanismo de fuga da realidade.

Acredito também que existem pessoas sonhadoras realizadoras, que usam o sonho para potencializar suas realizações. É isso que quero falar com você agora. Walt Disney, um dos maiores sonhadores que já existiu é também um dos maiores realizadores. Existe uma frase famosa atribuída a ele: “Eu prefiro fazer o impossível, pois lá a concorrência é menor”. Ele dava tanta importância a isso que uma de suas equipes era composta por sonhadores. O papel dessas pessoas era “pensar fora da caixa”, ideias que pudessem encantar os clientes. Nesta equipe era proibido criticar – o objetivo era sonhar.

Depois de levantados os sonhos, este conjunto de ideias iria para um segundo departamento que era responsável por classificar as ideias em: impossíveis, difíceis e possíveis. Por fim uma terceira equipe tinha a missão de transformar o maior numero de ideias impossíveis em ideias difíceis e ideias difíceis em ideias possíveis. E de posse dessas informações o ciclo era novamente iniciado pelas 3 equipes até que o maior número de ideias pudessem ser viabilizadas, de preferência com menor nível de complexidade. Aí você pode me perguntar: Qual a utilidade do sonho em tudo isso?

  • Ampliação de possibilidades: Muitas das mais brilhantes ideias implementadas por Walt Disney simplesmente poderiam não ter acontecido por conta da falta de permissão de sonhar. Outras poderiam até ter surgido, mas rapidamente repudiadas. É como regar uma planta. Se não cuidarmos e não dermos tempo para crescer, ela pode atrofiar e morrer.
  • Autoconhecimento: Quando sonhamos, temos a possibilidade de entrar em contato com coisas muito valiosas para nós. Ao analisarmos a essência dos nossos sonhos podemos nos conhecer melhor e encontrar alternativas para satisfazer a essência dos nossos sonhos.
  • Planejamento estratégico pessoal: Os sonhos são excelentes plataformas de planejamentos estratégicos pessoais. A partir deles podemos traçar alguns objetivos concretos mais específicos. Associando-se data e algumas outras informações quantitativas, podemos transformar estes sonhos em metas. Desta maneira construímos uma ponte entre o sonho e a realidade.
  • Inspiração: Sonhar baixo ou alto tem o mesmo custo (repare que não estou falando em metas ainda, mas em sonho), ambos são de graça. Isto pode ser um excelente fator inspiracional.

Quero te convidar a fazer um exercício prático: pegue uma folha de papel, reserve 5 a 10 minutos e, sem pensar muito (deixe que flua de maneira espontânea) liste todos os sonhos que lhe venham a cabeça. Não se restrinja por nada, apenas escreva o que pensar.

Ao final deste exercício quero que selecione, de todos os sonhos qual deles é o mais importante nesse momento. Aí então, avalie como você poderia transformá-lo em um objetivo mais palpável e específico. Avalie também o que você tem feito para que este sonho se materialize e o que você pode fazer de diferente que não fez até agora para que possa acontecer. Tenho certeza que vai ser um exercício surpreendente.

Depois deixe um comentário falando como foi esta experiência. Isso vai não só te ajudar, mas também ajudar a diversas outras pessoas a se beneficiarem deste mesmo exercício.

Um abraço e até já, já…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *