O Vazio, o Propósito e a Escolha

O Vazio, o Propósito e a Escolha

É bem provável que você já passou por aqueles momentos que ao acordar para um dia de trabalho se perguntou? O que estou fazendo da minha vida? Qual o sentido de tudo isso? Provavelmente deve ter sentido um frio no peito que pode ter te acompanhado por alguns minutos, horas ou dias. Confesso que já passei por isso inúmeras vezes.
Recentemente, uma grande amiga me apresentou esse sentimento: angústia existencial. Disse que iremos levar um pouquinho conosco pelo resto de nossas vidas. Por isso é importante aprender a conviver com ela.

No livro – Felicidade ou Morte – de Leandro Carnal e Clovis de Barros Filho, um dos capítulos aborda esse tema de maneira brilhante. Eles comparam os animais com os seres humanos, onde os primeiros já nascem com um propósito, não tem muito o que inventar. Os autores brincam: o gato gateia, o rato rateia. Por essa razão, os animais não sofrem de angústia porque vivem seu propósito. E o seres humanos? Ah, esses nascem como uma folha em branco e as possibilidades são infinitas, seu papel é muito mais complexo. Viver sem saber qual o seu propósito é angustiante. Na adolescência, trabalhamos a angústia com rebeldia e com o passar dos anos ela vai ficando mais velada, mais discreta. Mas, então, o que fazer com esta angústia?

Diante do sofrimento ao decidir o que fazer em diversas situações, milhares de pessoas buscam instituições, religiões, mestres, sem falar em todos os tipos de bens de consumo. Por fim, trocam a angústia pela compra de consciência do que é certo ou confortável. E se aproximam do gato, rato, boi. O que te faz lembrar isso? Em outros casos, fingem que a angústia não existe, deixa o propósito pra lá e vão viver a “vida loka”, fazer o que dá na “telha”. Não seria agir pelos instintos? Gato, rato, boi, de novo.

Quero compartilhar meu ponto de vista. Hoje não sou mais uma página em branco. Já escrevi algumas frases. Confesso que já apaguei umas e escrevi outras (aqui vai uma dica: use lápis que fica mais fácil de corrigir). O fato é que possuo “alguma” visão do meu propósito e isso é minha principal ajuda nesses instantes de angústia. Sei também que após esses momentos novas frases serão escritas na minha página que irão ajudar a passar por essas situações.

Não vou mentir, faço parte de muitas instituições, estudo muitas religiões, me inspiro em algumas pessoas e em outras ocasiões também vivo a “vida loka”, mas fico atento pra não começar a miar ou mugir por muito tempo.

Um grande abraço e até já, já…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *