O dono da verdade

O dono da verdade

Você já passou por aquela situação que ao ler um livro achou tudo simplesmente interessante, tudo muito bem colocado, bem argumentado, com embasamento científico e muito mais? Provavelmente isso lhe transmitiu credibilidade e você creditou verdade àquilo que leu, certo?

Aí de repente você lê outro livro, também muito bem embasado, bem argumentado, mas com apenas com uma diferença: o autor defende um ponto de vista completamente contrário ao primeiro livro que você leu. O que fazer então? Dificilmente você vai conseguir a mesma profundidade que os autores conseguiram, mas você não desiste. Pesquisa um pouco mais, encontra alguns que defendem pontos de vista mais próximos que o primeiro livro, outros mais próximos que o segundo, outros com outros pontos de vista… Afinal de contas, qual deles está dizendo a verdade? Como sair deste dilema?

Você tem três instrumentos para avaliar o que é verdade:

  1. Experiência: todo conjunto de experiências que você viveu e sentiu na pele e gerou uma interpretação única e exclusiva sua. Experiências que constroem suas crenças e valores sobre você e sobre o mundo;
  2. Lógica: quase que percorrer uma experiência virtual sobre o tema usando o raciocínio cerebral como base de avaliação;
  3. Sentir: este outro elemento muitas vezes é quase que sua única possibilidade quando você nunca experimentou algo relacionado ao conhecimento que teve contato e tem pouca familiaridade com os elementos lógicos que o compõe.

É verdade que quanto mais pessoas reconhecerem uma verdade, mais abrangente e provavelmente poderosa ela será. Também é verdade que poucas “mentiras” sobrevivem muito tempo aos três elementos acima, principalmente à experiência. Eu ainda acrescentaria que existe algo além do certo e do errado.

Daqui pra frente sempre que você entrar em contato com qualquer tipo de informação e não se sentir seguro quanto ao que está aprendendo te convido a usar os elementos acima para aumentar a sua independência intelectual e sua existência própria. Também convido a ser cientista da sua própria vida e dono da sua verdade. Quem sabe um dia ela possa se tornar uma verdade grandiosa para outras pessoas.

Um abraço e até já, já…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *